Category: Dicas inglês


7-jeitos-criativos-de-praticar-o-seu-ingles

As férias estão chegando e pra você não perder o embalo nos estudos, separamos 8 maneiras pra você praticar tudo o que aprendeu durante o semestre e voltar de férias com tudo na ponta da língua.

É muito fácil, basta aproveitar todas as oportunidades para colocar um pouco do idioma no seu dia a dia. Confere aí!

1 – Escute e cante músicas

Faça uma playlist com as suas músicas preferidas e aproveite para aqueles momentos de bobeira na praia ou em casa para treinar o ouvido e a pronúncia das palavras.

2 – Assista seriados sem legenda

Reserve um tempinho para assistir uma das séries da sua lista e deixe as legendas de lado. O objetivo é conseguir entender o contexto e absorver a história. Você vai ver que em pouco tempo o seu nível de entendimento aumenta.

3 – Leia em inglês

A melhor maneira de enriquecer o vocabulário é através da leitura. E aqui vale tudo, livros, revistas, jornais, sites… Escolha temas que você goste, assim a leitura é mais leve e rápida.

4 – Vá para a cozinha

Se você é daqueles que curte uma aventura culinária, vale aproveitar esses momentos para treinar vocabulário. Escolha um bom livro ou site de receitas em inglês e divirta-se!

5 – Vídeos no youtube

Existem milhões de canais que você pode acompanhar no YouTube e treinar o ouvido, a pronúncia, a escrita e o vocabulário. É só escolher um assunto que você goste e começar a garimpar.

6 – Jogos

Saia um pouco do mundo digital e separe um tempo para um bom jogo com os amigos. Existem muitas opções que vão te ajudar a treinar o vocabulário e ainda se divertir bastante.

7 – Converse com estrangeiros

Não tem jeito melhor de praticar do que conversando com estrangeiros. Descubra se vai ter um evento na sua cidade que vai reunir pessoas de fora ou participe de grupos de discussão que tenham pessoas de todo mundo nas redes sociais.

8 – Intensivo de férias da Up

Se você prefere aproveitar o tempo livre das férias para dar um up no seu aprendizado, o intensivo de férias da Up é pra você! Em menos de um mês você conclui um módulo inteiro e dá um ligeirão no curso. Aproveita!

Curtiu? Se você tem alguma outra sugestão, compartilha com a gente!

O site Lonely Planet divulgou a lista com os  melhores destinos para visitar em 2017. Eles estão divididos em quatro categorias: melhores cidades, melhores regiões, melhores países e destinos mais em conta.

Abaixo separamos 4 dos mais em conta pra você começar a planejar a sua próxima viagem!

  1. Nepal

O Nepal continua sendo uma boa escolha para viajantes que curtem uma boa aventura. Com algumas das melhores rotas de trekking mundialmente famosas nas montanhas poderosas do Nepal, o número de visitantes está se recuperando lentamente, após terremotos que atingiram a região. Onde quer que você vá, receberá uma recepção calorosa da população.nepal

  1. Porto, Portugal

Uma cidade europeia que ainda consegue se manter fora do radar de destinos mais procurados por viajantes de todo mundo. A cidade conta com acomodações, alimentação e atrações turísticas com valores acessíveis, além de opções como uma boa caminhada às margens do rio para apreciar a beleza da paisagem. porto

  1. Marrocos

Simplesmente não há qualquer lugar da Europa Ocidental que continua tão emocionante. Marraquexe tem mais opções de acomodação do que nunca, e continua atraindo multidões para apreciar a sua mistura de cidade frenética e, ao mesmo tempo amigável. Outra opção em conta é a cidade portuária de Tânger.marrocos

  1. Rússia

Com taxas de câmbio tentadoras contra outras moedas, não é surpreendente que o número de visitantes para a Rússia esteja aumentando. Com o país mais acessível, trens e rotas aéreas têm taxas atraentes e permitem visitar diversos lugares. Uma ótima oportunidade para conhecer o país que vai sediar a Copa do Mundo em 2018.

russia

597aed5ed58b9c4c1d62208bb4fb98cb

Imagine a cena…  Você acaba de chegar em Londres e está super empolgado com todas as experiências que vai ter nos próximos meses. Ao desembarcar do avião, é orientado a ficar na fila da imigração, onde vão verificar seu passaporte e fazer alguns questionamentos sobre o motivo que o levou até lá. Você está na fila e presencia a angústia de algumas pessoas por não saberem falar uma palavra sequer de inglês. Você se sente um pouco seguro, afinal de contas, dedicou-se e fez muitas aulas de inglês antes da viagem. Eis que chega a sua vez de ir até o guichê. De repente, a outra pessoa fala algo muito rápido, e você não entendeu o que ela quis dizer. Como você responderia?

  1. What?!
  2. Excuse me?!
  3. Sorry?!

Na teoria, todas as alternativas estão corretas, mas na prática, cada expressão tem o seu momento certo para ser utilizada, tudo vai depender do contexto e do sentido que você quer passar.

Um erro muito comum é dizer What?! a todo momento, naquelas situações onde não se entende algo e você quer que a pessoa repita. Para os nativos, isso soa BASTANTE grosseiro.

Pra te ajudar a não cometer esse tipo de erro, vamos compartilhar algumas curiosidades que talvez você não sabia sobre as expressões What?!, Excuse me?! e I’m sorry?! ou Sorry?!.

Usando o What?!

O “What?” é muito mais usado em situações de raiva e incredulidade.

EXEMPLO:
I don’t care about your opinion. – Não me importo com sua opinião.
What?! What did you just said? – Que?! O que você disse?

#FicaDica – Se você estiver em uma situação onde você não entendeu o que a pessoa disse e quer que ela repita, nunca diga “What?”, ok?  (A não ser que você esteja querendo ser irônico e iniciar uma discussão).

#Atenção – É importante deixar claro e evidente que o tom de voz e o jeito que dirá a expressão “What?” ajudam a amenizar ou a aumentar o sentido rude que a mesma tem.

Usando o Sorry?!

É a expressão mais democrática para transmitir delicadeza e educação nas situações citadas anteriormente. Se você não quer parecer grosseiro e sem educação, use sempre o sorry?! ao seu favor!

EXEMPLO:
Do you remember what you told me last week? – Você lembra o que me falou semana passada?
Sorry?! – Desculpa?!

#FicaDica – É preciso dar ênfase na entonação para mostrar que não entendeu a pergunta.

#FicaDica2 – Para reforçar que você não entendeu e que gostaria de entender, utilize alguma frase para complementar, tipo “Could you repeat?” (Podes repetir?).

Usando o Excuse me?!

Parecido com o Sorry?!, o Excuse me?! também é uma expressão que transmite sutileza. A diferença, talvez, é que o Excuse me?! soa mais polido e formal.

#FicaDica – É importante lembrar que, apesar de serem expressões mais sutis e educadas, elas também podem ser usadas em contexto de ironia, sarcasmo, ira, raiva, etc. Tudo vai depender do tom e do contexto que será usado.

Portanto, da próxima vez que estiver conversando com alguém em inglês e não entender algo, lembre-se dessas dicas e não largue simplesmente um what?! por impulso! 😉

Hand Holding Wooden Letter - OK

Em português, temos diferentes formas de dizer “OK” ao concordar com algo. No inglês não é diferente. Neste post você vai aprender cinco maneiras diferentes de dizer OK em inglês.

Sure!

Dizer OK em Inglês, que equivale ao nosso bom e velho “Claro!”.

– I’d like to be alone. (Eu gostaria de ficar sozinha.)

– Sure, no problem. (Claro, sem problemas.)

OK!

Ok ou mais informalmente ainda Okey-dokey!

– Don’t forget to do your homework! (Não se esqueça de fazer sua lição de casa!)

– Okey-dokey! I won’t forget it, teacher! (OK! Não vou esquecer, professor!)

Of course

Podemos traduzir por “Com certeza!” ou “Claro!”.

– Would you go to the drugstore and get me some aspirin, please? (Você vai até a farmácia pegar aspirina pra mim, por favor?)

– Of course, no problem! (Com certeza, sem problemas!)

Roger that!

Algo informal como “Entendido!” ou “Beleza!”.

– Go to the kitchen and get me some of the cake that your mother baked. (Vá para a cozinha e pegue um pouco daquele bolo que a sua mãe assou.)

– Roger that, dad! I’m on my way! (Beleza, pai! Estou indo!)

 Alright / Right

Tem o mesmo significado que o nosso “Tá, tudo bem!”.

– I want you to call them up, please. (Quero que você vá chamá-los, por favor.)

– Right, I’ll do it. (Tá, tudo bem, vou fazer isso então.)

E aí, curtiu o post?

Se você conhece outras formas, compartilha com a gente!

Os grandes museus nos levam a uma maravilhosa viagem pelo tempo e promovem um encontro inesquecível com cultura e história. Com suas obras de arte famosas e coleções inéditas, atraem turistas do mundo todo e são locais levados em consideração na hora de escolher o destino da próxima viagem.

Abaixo listamos os 10 museus mais visitados do mundo, de acordo com a classificação da TEA (Themed Entertainment Association), pra você conhecer e, quem sabe, incluir na sua lista de lugares para visitar.

10 – Tate Modern – Londres, Inglaterra

A fundação do Tate Modern foi no fim do século 19 por Henry Tate, empresário. A coleção engloba mais de 70 mil itens, com obras de arte contemporânea internacional e moderna.

museu-tate-modern

9 – Museu Americano de História Natural – Nova York, Estados Unidos

A localização é em frente ao Central Park, no coração da cidade Nova York, e é popular em especial pela sua coleção de fósseis de dinossauros que atraem milhões visitantes todos os anos.

Museu-Americano-de-Historia-Natural

8 – Museu de História Natural – Londres, Inglaterra

A inauguração do Museu de História Natural de Londres aconteceu em 1881, partindo da doação da coleção pessoal do Sir Hans Sloane, no ano 1753. Atualmente, o museu contém acervo de mais de 70 milhões de espécies de animais, insetos, fósseis e plantas.

Museu-de-Historia-Natural-londres

7 – Museus Vaticanos – Vaticano

Na decisão do Papa Julio II de expor uma coleção de esculturas no início do século 16, o mesmo não tinha noção de que estava criando um dos maiores acervos de cultura do mundo.

museus-vaticanos

6 – National Gallery – Londres, Inglaterra

A localização do National Gallery é em Trafalgar Square, coração de Londres, e possui uma coleção que reúne mais de 2.300 obras de pintores europeus de séculos 13 a 19.

galeria-nacional-de-londres

5 – Metropolitan Museum of Art – Nova York, Estados Unidos

Idealizado no século 19 com objetivo de contribuir com a educação nos Estados Unidos, o museu possui mais de 2 milhões de obras no acervo próprio, com milhares delas em exposição de forma permanente, além de mostras temporárias.

Metropolitan-Museum-of-Art

4 – Museu Britânico – Londres, Inglaterra

O Museu Britânico surgiu em meados do século 18, partindo do acervo de um destacado colecionador, com permanência aberta desde então. A coleção fixa do museu possui peças históricas de valor incalculável como os frisos do Partenon de Atenas e a Pedra de Roseta.

Museu-Britanico

3 – Museu Nacional da China – Pequim, China

Fundado em 2003 pela fusão do Museu da Revolução Chinesa e do Museu Nacional de História Chinesa. Possui uma coleção permanente de 1.050.000 itens, com muitos artefatos preciosos e raros da dinastia Shan, Qing e Song que contam a história da China.

museu-nacional-da-china

2 – Museu Nacional de História Natural – Washington, Estados Unidos

O Museu Nacional de História Natural, localizado em Washington, tem uma coleção que reúne mais de 126 milhões de espécies e objetos relacionados às ciências naturais do mundo inteiro.

Museu-Nacional-de-Historia-Natural-Washington

1 – Louvre – Paris, França

Antes de ser o museu mais famoso e mais visitado do planeta, com impressionante acervo que inclui obras como a Mona Lisa, o Louvre representava uma fortaleza de construção no século 12, para proteção de Paris, e posteriormente, um palácio da realeza francesa. Atualmente, as modernas pirâmides de vidro são contrastantes com o edifício histórico, e são importantes como porta de entrada para um dos mais incríveis acervos de arte, cultura e história do mundo.

museu-do-louvre-paris

tips_to_learn_a_new_language_4

Aprender um novo idioma é algo desafiador e exigirá de você muita dedicação. Com essa atitude, a dificuldade de aprender inglês, espanhol, alemão, italiano, francês ou qualquer outro idioma será facilmente superada!

Confira abaixo alguns erros mais comuns de quem tenta compreender uma nova língua e busque estratégias para fugir de cada um deles.

Decorar frases prontas

“The book is on the table”, “What’s wrong with being confident?”, “May the Force be with you” e outras tantas frases clássicas podem ser a porta de entrada para quem começa a conhecer um novo idioma, mas decorar frases prontas sem aprender cada palavra ou as regras de construção da expressão não adiantará nada. Ao invés de simplesmente decorar as frases, busque criar variações e entender como elas podem ser utilizadas na prática.

Não praticar fora da sala de aula

A prática constante é algo fundamental para a consolidação do conteúdo estudado, seja ele qual for. Limitar-se ao tempo disponível na sala de aula fará com que você demore mais para alcançar o nível que deseja. Assistir a filmes legendados, ouvir músicas, conversar com colegas e utilizar aplicativos são algumas dicas para praticar em qualquer lugar.

Pular etapas

A frustração é muito comum quando você está aprendendo um novo idioma quando você tenta compreender algo que está além do que você já aprendeu. Para continuar se desafiando e minimizar esse sentimento, respeite o seu ritmo de aprendizado. Comece vendo vídeos curtos, ouvindo podcasts e lendo blogs ou pequenos livros em outro idioma, com o tempo, você será capaz até mesmo de curtir um filme em inglês no cinema sem sequer olhar para as legendas.

Não definir metas ou avaliações próprias

Todo objetivo precisa de metas! Crie métodos de autoavaliação regulares, com exercícios práticos que possam ser feitos em casa, e compare os seus resultados. Você pode, por exemplo, se comprometer a assistir uma vez por semana a um episódio inédito de uma série sem legenda. Com o tempo, você vai perceber que o número de vezes que você não compreendeu algo diminui.

Achar que já sabe o suficiente

Nada que aprendemos na vida chega a um ponto em que está “suficiente” e com um novo idioma isso não é diferente. Consegue compreender tudo que lê ou ouve? Então comece a conversar com pessoas de fora, para treinar a pronúncia. Já consegue conversar perfeitamente? Crie um blog e comece a escrever nesse idioma para avaliar o seu conhecimento das regras gramaticais. Já faz tudo isso? Continue aprendendo para não fazer feio quando você tiver uma reunião importante com representantes estrangeiros ou quando você for estudar no exterior. Nada de relaxar, continue praticando ainda mais!

cozinha-640x360

Este post é para quem curte cozinhar e acompanha páginas no Facebook, blogs e canais no YouTube recheados de receitas deliciosas!

Separamos uma lista com vocabulário com as principais palavras e expressões da gastronomia para ajudar você a entender melhor e não perder nenhuma receita estrangeira!

Bake: assar

Blanch: escaldar, branquear

Boil: cozinhar

Braise: refogar

Broil: grelhar

Brown: dourar

Chop: picar, cortar em pedaços pequenos

Cube (ou dice): cortar em cubos

Deep fry: fritar cobrindo todo o alimento com óleo

Dredge: enfarinhar, polvilhar

Fry: fritar

Grate: ralar

Knead: amassar, sovar

Marinate: marinar

Mash: amassar

Mince: moer, picar (em tamanhos menores que cubos)

Parboil: cozinhar parcialmente em água, escaldar

Pare (ou peel): descascar

Pinch: pitada

Scald: escaldar

Season: temperar

Seed: retirar as sementes

Shred: retalhar (cortar em tiras finas)

Sieve: peneirar (também se diz sift)

Simmer: cozinhar até ferver

Smoke: defumar

Sprinkle: salpicar

Toast: tostar

Trim: cortar (retirar a parte não desejada de algo)

Whip: bater

Já falamos diversas vezes aqui no blog que ver filmes e séries com o áudio e as legendas em inglês são uma ótima maneira de praticar o listening, além de ser um método divertido e nada cansativo de aprender.

Pensando nisso, fizemos uma seleção para você não deixar de fora o que há de melhor na tela do Netflix.

1- Orange Is The New Black

organge-is-the-new-black

Uma das séries mais queridas da Netflix, premiada com diversos Emmy. A história é sobre uma privilegiada garota de Nova York que acaba na prisão por um crime cometido anos atrás. A notícia boa é que a terceira temporada já foi confirmada e tem estreia marcada para o dia 12 de junho.

2- House of Cards

house-of-cards

Outro sucesso de público que chegou à terceira temporada é “House of Cards”, adaptação do romance homônimo escrito por Michael Dobbs e da minissérie britânica criada por Andrew Davies. A trama gira em torno da ambição e medidas nada corretas de Frank Underwood, político que não mede esforços em busca do poder.

3- Bloodline

Bloodline1

“Bloodline” é centrada em uma família de quatro irmãos adultos cujos segredos e cicatrizes são revelados quando o ‘ovelha negra’ volta para casa. A próxima temporada estreia este ano.

4- Unbreakable Kimmy Schmidt

unbreakable-kimmy

Uma mulher é resgatada de um culto apocalíptico e se muda para Nova York, onde tenta sobreviver em um mundo que ela achava que nem existia mais. Riso na certa!

5- The Returned

the-returned

Além do terror, o suspense também tem vez entre as produções do Netflix. Em “The Returned” pessoas mortas retornam inexplicavelmente à vida e tentam se reintegrar à sociedade.

6- Grace and Frankie

grace-and-frankie

Jane Fonda e Lily Tomlin estrelam como duas mulheres obrigadas a reinventar suas vidas nesta nova série de comédia. Vale a pena!

7- The Fall

the-fall

Por falta de provas, a polícia de Belfast deve transferir as investigações de uma série de assassinatos a Stella Gibson, detetive superintendente da polícia de Londres. Mais uma ótima série policial produzida pelo site.

8- Derek

derek

A comédia, que estreou um 2012, já está na terceira temporada e acompanha Derek, um cômico e leal funcionário de um asilo que vê apenas o bem nas pessoas.

9- Pompidou

pompidou

Outra novidade da Netflix, a série acaba de chegar ao site com a história de Pompidou: um aristocrata excêntrico que perdeu sua fortuna e, junto ao seu maltratado mordomo, enfrenta novos desafios.

10- Narcos

assistir-narcos

A série é baseada em fatos reais do maior traficante da história, Pablo Emílio Escobar Gavíria. A história gira em torno do traficante colombiano e retrata sua ascensão para o posto de um dos homens mais perigosos e ricos do mundo. O ator brasileiro Wagner Moura vive Pablo Escobar.

 

world-study-lanca-terceira-edicao-mapa-intercambio-300x300

Se você está pensando em fazer um intercâmbio com o objetivo de mergulhar na cultura e no idioma para aprender o máximo possível, já deve ter ouvido falar que quanto menos contato com brasileiros melhor. Se o tempo for curto então, melhor manter distância dos co-irmãos.

Estar em um país diferente que fala outra língua faz você passar por situações desconfortáveis em alguns momentos. A convivência com outros brasileiros durante essa vivência pode deixar você dentro da famosa zona de conforto e impedir que você desenvolva algumas habilidades que você só vai adquirir passando por alguns perrengues.

Ao falar mais com conterrâneos do que com nativos locais, você se distancia da cultura e do idioma do país que você está visitando. E, quando se escolhe fazer um intercâmbio, são justamente essas experiências que estimulam o investimento.

Para aproveitar bem o intercâmbio e treinar a língua do início ao fim da estadia sem correr o risco de tropeçar em um brasileiro a cada passo, separamos 10 locais que têm o inglês como idioma oficial e que menos recebem brasileiros, selecionados pela Associação Brasileira de Organizadores de Viagens Educacionais e Culturais (Belta).

  1. ADELAIDE, AUSTRÁLIA

A capital de South Australia é conhecida pela qualidade de vida e baixo custo, sendo bem planejada e calma – apesar de ser a quinta maior cidade do país. Restaurantes, museus, bibliotecas, vinícolas famosas, jardins e reservas naturais, entre outras experiências, esperam por quem escolhe esse local para viver por um tempo.

  1. BELFAST, IRLANDA DO NORTE

Parte do Reino Unido, Belfast é uma capital calma se comparada à movimentada e festeira Dublin, capital da República da Irlanda. Ela é simpática e charmosa, repleta de parques e colinas. Uma curiosidade: há a separação (inclusive por um muro, apesar de haver um portão de passagem) entre católicos e protestantes que moram em bairros distintos e evitam conviver uns com os outros.

  1. CHRISTCHURCH, NOVA ZELÂNDIA

A maior cidade da Ilha Sul do país é a mais inglesa de todas, com características parecidas com a da Grã-Bretanha. Jardins, parques e beleza arquitetônica compõem a região.

  1. EDINBURGH, ESCÓCIA

Em português conhecida como Edimburgo, a capital da Escócia é querida pela realeza do Reino Unido e apaixonante para quem a conhece de perto. Além da bela arquitetura que os prédios exibem, há diversos restaurantes e atrações culturais, musicais e noturnas.

  1. GALWAY, IRLANDA

A quarta maior cidade do país, localizada na província de Connacht, é conhecida por ser a porta de entrada para a Europa. Ao andar pelas ruas, pode-se conferir o estilo medieval do local. Como em todos os lugares da Irlanda, Galway reúne diversos pubs e muita cultura.

  1. JEFFREYS BAY, ÁFRICA DO SUL

A cidade fica na província de Eastern Cape (Cabo Oriental) e é popular entre os que curtem praia com ondas, já que é onde acontece uma das etapas do circuito mundial de surf profissional. Portanto, espere atrações e cultura praianas! O inglês, como em toda a África do Sul, é falado em meio às línguas e dialetos locais.

  1. LIVERPOOL, INGLATERRA

Galerias de arte, música, cultura e vida noturna esperam os intercambistas que escolhem Liverpool para viver temporariamente. A cidade dos Beatles é receptiva aos estudantes estrangeiros e tem um dos custos de vida mais baixos no Reino Unido.

  1. SEATTLE, ESTADOS UNIDOS

A cidade portuária é a mais populosa do estado de Washington, fica perto da fronteira com o Canadá e é classificada como uma das melhores para se viver nos EUA. Seattle abriga diversos museus, parques naturais e outras atrações culturais.

  1. ST. JULIAN’S, MALTA

A República de Malta fica na ilha de Malta, próxima ao sul da Itália, no mar Mediterrâneo, e tem como línguas oficiais o maltês e o inglês. Saint Julian’s é uma pequena cidade, mas paradisíaca, que mistura vilas de pescadores com o turismo. As águas cristalinas do mar e as opções de passeios encantam qualquer um.

  1. WHISTLER, CANADÁ

Ter sido uma das sedes das Olimpíadas de Inverno de 2010 mostra a cultura local em meio à neve. Reúne 200 pistas de esqui e restaurantes renomados, boates, bares e pubs. Assim, mesmo nos dias frios de inverno, Whistler passa longe de entediar os estrangeiros.

 

27613acd-6d7c-4b88-846c-e7dbcc438c52

Em agosto de 2016, o Brasil sedia os Jogos Olímpicos, e a integração entre os povos participantes, tal qual ocorreu na Copa do Mundo em 2014, passa por um bom treino da língua inglesa.

Para fechar a série de posts sobre o assunto, separamos algumas dicas para você se preparar e aproveitar ao máximo essa oportunidade de interagir com turistas do mundo inteiro.

Além de fazer o curso na Up e contar com a experiência e o conhecimento dos nossos professores, algumas ações podem ajudar você a praticar o idioma no dia a dia e melhorar o seu desempenho na conversação.

1- OUÇA MÚSICA

Não importa qual é o seu estilo musical, escutar músicas em inglês ajuda a treinar o ouvido e a se acostumar com a pronúncia das palavras.

2- COMPRE UM LIVRO

A leitura também é uma ótima ferramenta para praticar. Não quer gastar muito? Invista em sebos ou busque aplicativos de e-books gratuitos.

3- SOCIALIZE

Cada vez mais pessoas se reúnem com o propósito de praticar um idioma. Junte sua turma e faça um happy hour onde só vale falar inglês.

4- INFORME-SE EM INGLÊS

Na hora de ler as notícias do dia, busque jornais, rádios e canais de televisão estrangeiros. A maioria deles pode ser acessado pela internet.

5- USE APPS, FAÇA EXERCÍCIOS E PRATIQUE

Cada vez mais aplicativos são lançados para ajudar tanto na gramática quanto na conversação. Use sem moderação!