Category: Turismo


O site Lonely Planet divulgou a lista com os  melhores destinos para visitar em 2017. Eles estão divididos em quatro categorias: melhores cidades, melhores regiões, melhores países e destinos mais em conta.

Abaixo separamos 4 dos mais em conta pra você começar a planejar a sua próxima viagem!

  1. Nepal

O Nepal continua sendo uma boa escolha para viajantes que curtem uma boa aventura. Com algumas das melhores rotas de trekking mundialmente famosas nas montanhas poderosas do Nepal, o número de visitantes está se recuperando lentamente, após terremotos que atingiram a região. Onde quer que você vá, receberá uma recepção calorosa da população.nepal

  1. Porto, Portugal

Uma cidade europeia que ainda consegue se manter fora do radar de destinos mais procurados por viajantes de todo mundo. A cidade conta com acomodações, alimentação e atrações turísticas com valores acessíveis, além de opções como uma boa caminhada às margens do rio para apreciar a beleza da paisagem. porto

  1. Marrocos

Simplesmente não há qualquer lugar da Europa Ocidental que continua tão emocionante. Marraquexe tem mais opções de acomodação do que nunca, e continua atraindo multidões para apreciar a sua mistura de cidade frenética e, ao mesmo tempo amigável. Outra opção em conta é a cidade portuária de Tânger.marrocos

  1. Rússia

Com taxas de câmbio tentadoras contra outras moedas, não é surpreendente que o número de visitantes para a Rússia esteja aumentando. Com o país mais acessível, trens e rotas aéreas têm taxas atraentes e permitem visitar diversos lugares. Uma ótima oportunidade para conhecer o país que vai sediar a Copa do Mundo em 2018.

russia

Os grandes museus nos levam a uma maravilhosa viagem pelo tempo e promovem um encontro inesquecível com cultura e história. Com suas obras de arte famosas e coleções inéditas, atraem turistas do mundo todo e são locais levados em consideração na hora de escolher o destino da próxima viagem.

Abaixo listamos os 10 museus mais visitados do mundo, de acordo com a classificação da TEA (Themed Entertainment Association), pra você conhecer e, quem sabe, incluir na sua lista de lugares para visitar.

10 – Tate Modern – Londres, Inglaterra

A fundação do Tate Modern foi no fim do século 19 por Henry Tate, empresário. A coleção engloba mais de 70 mil itens, com obras de arte contemporânea internacional e moderna.

museu-tate-modern

9 – Museu Americano de História Natural – Nova York, Estados Unidos

A localização é em frente ao Central Park, no coração da cidade Nova York, e é popular em especial pela sua coleção de fósseis de dinossauros que atraem milhões visitantes todos os anos.

Museu-Americano-de-Historia-Natural

8 – Museu de História Natural – Londres, Inglaterra

A inauguração do Museu de História Natural de Londres aconteceu em 1881, partindo da doação da coleção pessoal do Sir Hans Sloane, no ano 1753. Atualmente, o museu contém acervo de mais de 70 milhões de espécies de animais, insetos, fósseis e plantas.

Museu-de-Historia-Natural-londres

7 – Museus Vaticanos – Vaticano

Na decisão do Papa Julio II de expor uma coleção de esculturas no início do século 16, o mesmo não tinha noção de que estava criando um dos maiores acervos de cultura do mundo.

museus-vaticanos

6 – National Gallery – Londres, Inglaterra

A localização do National Gallery é em Trafalgar Square, coração de Londres, e possui uma coleção que reúne mais de 2.300 obras de pintores europeus de séculos 13 a 19.

galeria-nacional-de-londres

5 – Metropolitan Museum of Art – Nova York, Estados Unidos

Idealizado no século 19 com objetivo de contribuir com a educação nos Estados Unidos, o museu possui mais de 2 milhões de obras no acervo próprio, com milhares delas em exposição de forma permanente, além de mostras temporárias.

Metropolitan-Museum-of-Art

4 – Museu Britânico – Londres, Inglaterra

O Museu Britânico surgiu em meados do século 18, partindo do acervo de um destacado colecionador, com permanência aberta desde então. A coleção fixa do museu possui peças históricas de valor incalculável como os frisos do Partenon de Atenas e a Pedra de Roseta.

Museu-Britanico

3 – Museu Nacional da China – Pequim, China

Fundado em 2003 pela fusão do Museu da Revolução Chinesa e do Museu Nacional de História Chinesa. Possui uma coleção permanente de 1.050.000 itens, com muitos artefatos preciosos e raros da dinastia Shan, Qing e Song que contam a história da China.

museu-nacional-da-china

2 – Museu Nacional de História Natural – Washington, Estados Unidos

O Museu Nacional de História Natural, localizado em Washington, tem uma coleção que reúne mais de 126 milhões de espécies e objetos relacionados às ciências naturais do mundo inteiro.

Museu-Nacional-de-Historia-Natural-Washington

1 – Louvre – Paris, França

Antes de ser o museu mais famoso e mais visitado do planeta, com impressionante acervo que inclui obras como a Mona Lisa, o Louvre representava uma fortaleza de construção no século 12, para proteção de Paris, e posteriormente, um palácio da realeza francesa. Atualmente, as modernas pirâmides de vidro são contrastantes com o edifício histórico, e são importantes como porta de entrada para um dos mais incríveis acervos de arte, cultura e história do mundo.

museu-do-louvre-paris

Paris, Veneza e Roma são destinos perfeitos para quem busca uma viagem com um toque de cultura. Mas, se você está procurando por roteiros menos visados pela grande maioria dos turistas, precisa conferir esta seleção feita pelo site Booking.com com lugares menos conhecidos ao redor do globo que prometem agradar os amantes das artes e da cultura em geral.

Confere só:

  1. Recanati, Itália

Com cerca de 20 mil habitantes, essa comuna italiana já foi considerada como a “cidade da poesia” por ser o local de nascimento do poeta Giacomo Leopardi. Os viajantes que passarem pelo local e visitarem a Pinacoteca do Museu Villa Colloredo Mels terão a oportunidade de apreciar uma grande coleção de arte renascentista. Outras atrações incluem ainda a Catedral e o Museu Diocesano de Arte Sacra.

Recanati-Italy

  1. Jaisalmer, Índia

Também conhecida como a “Cidade Dourada” da Índia, Jaisalmer fica em meio ao deserto de Thar. A cidade e seu enorme forte faziam parte da rota de camelos do comércio entre Oriente Médio, África e Europa há 800 anos. Hoje, é uma opção perfeita para quem quer conhecer mais sobre a história e a cultura da região.

Jaisalmer-India

  1. Viljandi, Estônia

A cidade é também capital da região homônima da Estônia, reconhecida por suas belezas naturais e por possuir uma intensa vida cultural. É considerada a capital da música folclórica no país devido ao festival de música tradicional que acontece todos os anos durante o verão nas ruínas do castelo da cidade e nas proximidades.

Viljandi-Estonia

  1. Aït-Ben-Haddou, Marrocos

O vilarejo já fez parte da rota de comércio entre o Sahara e Marraquexe. Hoje, apenas quatro famílias ainda vivem na cidade antiga, o que faz com que explorar o local seja praticamente como visitar um museu a céu aberto, tanto é que a região foi declarada Patrimônio Mundial da Unesco.

Aït-Benhaddou-Morocco

  1. Borobudur, Indonésia

Este é simplesmente o maior monumento budista do mundo, o que já é motivo suficiente para visitá-lo. Também é considerado Patrimônio Mundial pela Unesco, sendo ainda o monumento mais visitado do país. Para se ter uma ideia, Borobudur é 300 anos mais antigo que o famoso templo de Angkot Wat, no Camboja.

Borobudur-Indonesia

  1. Uluru, Austrália

Localizada em meio ao deserto australiano, esta pedra é de fundamental importância para a cultura dos Anangu, povo aborígene que habita a região. À medida que o sol se põe, a enorme formação rochosa muda de cor, deixando transparecer toda sua beleza.

Uluru-Australia

  1. Barichara, Colômbia

Além de testemunhar de perto a beleza desta cidade que guarda o melhor da arquitetura colonial espanhola, os visitantes ainda poderão conhecer a encantadora Catedral da Imaculada Conceição e descobrir mais sobre o passado da região com um passeio pelo museu arqueológico.

Barichara-Columbia

  1. Vézelay, França

Essa cidadezinha medieval francesa fica no topo de uma colina e possui muito charme, além de ótimos vinhos. Suas casas datam dos séculos 15, 16 e 17, o que adiciona um elemento histórico sem igual à visita. Enquanto estiver por lá não deixe de conhecer a Basílica de Santa Maria Madalena.

Vézelay-France

  1. Flores, Guatemala

A cidade de Flores fica em uma ilha no Lago Petén Itzá. Mas, além de suas simpáticas construções coloridas, a cidadezinha também atrai turistas que buscam visitar as ruínas maias de Tikal, que exalam história próximo dali.

Flores-Guatemala

 

world-study-lanca-terceira-edicao-mapa-intercambio-300x300

Se você está pensando em fazer um intercâmbio com o objetivo de mergulhar na cultura e no idioma para aprender o máximo possível, já deve ter ouvido falar que quanto menos contato com brasileiros melhor. Se o tempo for curto então, melhor manter distância dos co-irmãos.

Estar em um país diferente que fala outra língua faz você passar por situações desconfortáveis em alguns momentos. A convivência com outros brasileiros durante essa vivência pode deixar você dentro da famosa zona de conforto e impedir que você desenvolva algumas habilidades que você só vai adquirir passando por alguns perrengues.

Ao falar mais com conterrâneos do que com nativos locais, você se distancia da cultura e do idioma do país que você está visitando. E, quando se escolhe fazer um intercâmbio, são justamente essas experiências que estimulam o investimento.

Para aproveitar bem o intercâmbio e treinar a língua do início ao fim da estadia sem correr o risco de tropeçar em um brasileiro a cada passo, separamos 10 locais que têm o inglês como idioma oficial e que menos recebem brasileiros, selecionados pela Associação Brasileira de Organizadores de Viagens Educacionais e Culturais (Belta).

  1. ADELAIDE, AUSTRÁLIA

A capital de South Australia é conhecida pela qualidade de vida e baixo custo, sendo bem planejada e calma – apesar de ser a quinta maior cidade do país. Restaurantes, museus, bibliotecas, vinícolas famosas, jardins e reservas naturais, entre outras experiências, esperam por quem escolhe esse local para viver por um tempo.

  1. BELFAST, IRLANDA DO NORTE

Parte do Reino Unido, Belfast é uma capital calma se comparada à movimentada e festeira Dublin, capital da República da Irlanda. Ela é simpática e charmosa, repleta de parques e colinas. Uma curiosidade: há a separação (inclusive por um muro, apesar de haver um portão de passagem) entre católicos e protestantes que moram em bairros distintos e evitam conviver uns com os outros.

  1. CHRISTCHURCH, NOVA ZELÂNDIA

A maior cidade da Ilha Sul do país é a mais inglesa de todas, com características parecidas com a da Grã-Bretanha. Jardins, parques e beleza arquitetônica compõem a região.

  1. EDINBURGH, ESCÓCIA

Em português conhecida como Edimburgo, a capital da Escócia é querida pela realeza do Reino Unido e apaixonante para quem a conhece de perto. Além da bela arquitetura que os prédios exibem, há diversos restaurantes e atrações culturais, musicais e noturnas.

  1. GALWAY, IRLANDA

A quarta maior cidade do país, localizada na província de Connacht, é conhecida por ser a porta de entrada para a Europa. Ao andar pelas ruas, pode-se conferir o estilo medieval do local. Como em todos os lugares da Irlanda, Galway reúne diversos pubs e muita cultura.

  1. JEFFREYS BAY, ÁFRICA DO SUL

A cidade fica na província de Eastern Cape (Cabo Oriental) e é popular entre os que curtem praia com ondas, já que é onde acontece uma das etapas do circuito mundial de surf profissional. Portanto, espere atrações e cultura praianas! O inglês, como em toda a África do Sul, é falado em meio às línguas e dialetos locais.

  1. LIVERPOOL, INGLATERRA

Galerias de arte, música, cultura e vida noturna esperam os intercambistas que escolhem Liverpool para viver temporariamente. A cidade dos Beatles é receptiva aos estudantes estrangeiros e tem um dos custos de vida mais baixos no Reino Unido.

  1. SEATTLE, ESTADOS UNIDOS

A cidade portuária é a mais populosa do estado de Washington, fica perto da fronteira com o Canadá e é classificada como uma das melhores para se viver nos EUA. Seattle abriga diversos museus, parques naturais e outras atrações culturais.

  1. ST. JULIAN’S, MALTA

A República de Malta fica na ilha de Malta, próxima ao sul da Itália, no mar Mediterrâneo, e tem como línguas oficiais o maltês e o inglês. Saint Julian’s é uma pequena cidade, mas paradisíaca, que mistura vilas de pescadores com o turismo. As águas cristalinas do mar e as opções de passeios encantam qualquer um.

  1. WHISTLER, CANADÁ

Ter sido uma das sedes das Olimpíadas de Inverno de 2010 mostra a cultura local em meio à neve. Reúne 200 pistas de esqui e restaurantes renomados, boates, bares e pubs. Assim, mesmo nos dias frios de inverno, Whistler passa longe de entediar os estrangeiros.

 

27613acd-6d7c-4b88-846c-e7dbcc438c52

Em agosto de 2016, o Brasil sedia os Jogos Olímpicos, e a integração entre os povos participantes, tal qual ocorreu na Copa do Mundo em 2014, passa por um bom treino da língua inglesa.

Para fechar a série de posts sobre o assunto, separamos algumas dicas para você se preparar e aproveitar ao máximo essa oportunidade de interagir com turistas do mundo inteiro.

Além de fazer o curso na Up e contar com a experiência e o conhecimento dos nossos professores, algumas ações podem ajudar você a praticar o idioma no dia a dia e melhorar o seu desempenho na conversação.

1- OUÇA MÚSICA

Não importa qual é o seu estilo musical, escutar músicas em inglês ajuda a treinar o ouvido e a se acostumar com a pronúncia das palavras.

2- COMPRE UM LIVRO

A leitura também é uma ótima ferramenta para praticar. Não quer gastar muito? Invista em sebos ou busque aplicativos de e-books gratuitos.

3- SOCIALIZE

Cada vez mais pessoas se reúnem com o propósito de praticar um idioma. Junte sua turma e faça um happy hour onde só vale falar inglês.

4- INFORME-SE EM INGLÊS

Na hora de ler as notícias do dia, busque jornais, rádios e canais de televisão estrangeiros. A maioria deles pode ser acessado pela internet.

5- USE APPS, FAÇA EXERCÍCIOS E PRATIQUE

Cada vez mais aplicativos são lançados para ajudar tanto na gramática quanto na conversação. Use sem moderação!

marca-paralimpica-rio-2016_No último post, falamos sobre os Jogos Olímpicos. Para continuar essa série vamos falar um pouco mais sobre os Jogos Paralimpicos, evento que acontece em setembro de 2016, logo após os Jogos Olímpicos. Nos 11 dias, serão disputadas 528 provas com medalhas, sendo 264 masculinas, 226 femininas e 38 mistas.

São 23 modalidades disputadas em 20 locais de competições espalhados em quatro regiões da cidade do Rio de Janeiro. As estreias de 2016 são o triatlo e a canoagem.

Em 1945 o esporte começou a ser utilizado em Stoke Mandeville, na Inglaterra, como forma de reabilitação de soldados feridos durante a 2ª guerra mundial por iniciativa do médico alemão Ludwig Gutmann. Em 1948 foi organizada a primeira competição para atletas com deficiência. O sucesso foi tanto que em 1960 aconteceu a primeira edição oficial dos Jogos Paralímpicos em Roma, na Itália.

O esporte paralímpico no Brasil só começou na década de 1950, graças ao paraplégico Róbson de Almeida Sampaio, que havia retornado dos Estados Unidos. Ele fundou um clube no Rio de Janeiro, enquanto outro paraplégico, Sérgio Delgrande, fazia o mesmo em São Paulo. Em 1959, as equipes dos dois clubes se enfrentaram em um jogo de basquete em cadeira de rodas. As associações de atletas deficientes começaram a aparecer, e o Brasil enviou uma delegação aos Jogos Paralímpicos pela primeira vez em 1972.

A velocista mineira Ádria Rocha dos Santos tornou-se a maior velocista cega do mundo ao conquistar seu quarto ouro em paralimpíadas, nos Jogos de Atenas (2004). O primeiro veio em 1992, e os outros dois, em 2000. Ádria possui 10 medalhas paralímpicas. Ela começou no atletismo aos 13 anos, quando frequentava a escola para deficientes visuais Instituto São Rafael, em Belo Horizonte (MG). Foi perdendo gradativamente a visão por causa de uma doença chamada retinose pigmentar (degeneração da retina) e do astigmatismo de nascença.

Quer saber mais? Então visite o site oficial das Olimpíadas Rio 2016: http://www.rio2016.com/

rio

Em agosto de 2016, o Brasil sedia os Jogos Olímpicos. Em 17 dias de competição serão disputadas 306 provas com medalhas, sendo 161 masculinas, 136 femininas e 9 mistas. Esta será a primeira edição dos Jogos realizada na América do Sul.

Nas próximas semanas você vai acompanhar uma série de posts que nós da Up Idiomas preparamos para você ficar por dentro desse grande evento.

Separamos abaixo algumas curiosidades para você saber um pouco mais sobre os Jogos que vão receber mais de 10 mil atletas de 204 países. Confere aí:

  1. NOVOS ESPORTES

A Olimpíada de 2016 terá 42 modalidades de esporte em disputa. As novidades dessa edição foram a inclusão do rugby e do golfe.

  1. CUSTO $$$$

O orçamento dos jogos custou a bagatela de R$37,6 bilhões de reais.

  1. TOCHA

A tocha olímpica simboliza a união entre os jogos da antiguidade e da era moderna. Ela passa pelas mãos de 10 mil carregadores durante um revezamento que leva 100 dias e percorre os 27 estados do Brasil.

  1. VILA OLÍMPICA

A vila é composta por 31 prédios residenciais, divididos em sete condomínios em apartamentos de 2 a 4 quartos.

  1. LEMA E VALORES

O lema olímpico é “Citius, altius, fortius”, que significa “mais rápido, mais alto e mais forte”. Os valores do Movimento Olímpico são respeito, amizade e excelência.

  1. AUDIÊNCIA

A última cerimônia de abertura, na Olimpíada de Londres, alcançou a audiência global de 900 milhões de pessoas. Será que ano que vem vamos bater esse número?

  1. INGRESSOS

No total serão comercializados 7,5 milhões de ingressos, divididos em quatro categorias diferentes. O ingresso mais barato custa R$40 e o mais caro sai por R$4.600.

Quer saber mais? Então visite o site oficial das Olimpíadas Rio 2016.

follow_destaque-624x416

Tem gente que gosta de fotografia. Tem gente que curte viajar e conhecer lugares incríveis.  E tem gente que adora fazer as duas coisas ao mesmo tempo!

Lugares maravilhosos são o cenário perfeito para tirar fotos fantásticas! Por isso, separamos seis perfis que valem a pena espiar e seguir. Confere a nossa seleção e já vai preparando a tua lista de lugares para conhecer na próxima viagem.

Inspire-se e viaje junto!

1 – @ALEPUCHALSCK

O brasileiro Alexandre Puchalsck vive em Boston (EUA) e registra bons momentos pelos lugares que passa – incluindo o Brasil.

2 – @BLOGMOCHILANDO

Uma coletânea de fotos dos outros usuários do Instagram, o Mochilando mostra, portanto, diferentes lugares do mundo.

3 – @VAMOSPRAONDE

Um casal de brasileiros que viaja pelo mundo e mostra paisagens exuberantes no Instagram.

4 – @MURADOSMANN

O fotógrafo russo Murad Osmann é famoso por fotografar paisagens com a noiva, Nataly, à sua frente. O número de seguidores não nega a qualidade do perfil de Murad. Há até fotos da passagem do casal pelo Brasil.

5 – @SAMHORINE

Fotógrafo nova-iorquino que também tira fotos por onde vai. As paisagens que ele mais retrata são de centros urbanos.

6 – @SPICEUPTHEROAD

Perfil do site de mesmo nome, coordenado pela Fernanda Costa Gama, uma apaixonada por viagem, moda, comunicação, diversidade cultural, fotografia, livros e claro… comida!

Aproveita essa viagem no Instagram e passa no perfil da @UPIDIOMAS para conferir as novidades!

 

Sem título

Já falamos diversas vezes sobre algumas formas de praticar o idioma que você está aprendendo. Uma das mais eficazes é conversar com estrangeiros.

Para isso, viajar é uma ótima opção, mas… para quem tá com a grana curta e ainda assim quer aproveitar esse tipo de experiência (e ainda ganhar uma grana), o site Rent a Local Friend é uma ótima alternativa.

Através da plataforma, criada pela paulistana Alice Moura, você se coloca à disposição para ser um amigo de aluguel, receber turistas e mostrar a cidade através do ponto de vista de quem é morador.

Você pode apresentar para ele aquele restaurante incrível que fica em uma parte isolada da cidade, a noitada mais badalada que rola de vez em quando, uma feira de artigos exóticos, o bar onde toca música local de qualidade e outros lugares que só quem é morador conhece.

Basicamente, qualquer indivíduo pode se candidatar a uma vaga de “amigo local” e, depois de preencher todos os dados, aguardar a aprovação – ou não – feita pelos curadores do site. Mesmo não existindo um perfil padrão pré-estabelecido, é praticamente fundamental que a pessoa interessada tenha um certo domínio de outros idiomas (pelo menos inglês) e realmente goste do trabalho. O valor pago pelo serviço varia de acordo com o custo de vida de cada lugar — quatro horas de passeio saem, em média, por US$ 100.

Curtiu a ideia?

Quer compartilhar iniciativas tão legais quanto essa? Então manda pra gente!

Experience London 2016

Up_ExperienceLondon16_Cartazes_abr15

Que tal morar por três semanas em Londres, uma das cidades mais fantásticas do mundo? E estudar inglês em uma das mais tradicionais escolas de lá? E que tal contar com a segurança de acompanhamento integral de guias brasileiros, que já viveram na capital inglesa, durante toda viagem?

Assim é o Experience London! Um programa de intercâmbio para quem quer estudar inglês e ter uma vivência fora do país, com a tranquilidade e orientação de guias brasileiros desde a saída no Brasil.

  • A Viagem

A saída está programada para o dia 08 de janeiro de 2016, no Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre. O retorno de Londres acontece no dia 28 de janeiro, com chegada em Porto Alegre, dia 29 de janeiro.
Durante as três semanas em Londres, o alunos terão aulas de inglês, pela manhã. Pela tarde, passeios turísticos orientados pelos guias. A vida noturna de Londres é muito intensa, e os participantes poderão confraternizar nos tradicionais pubs da cidade e aproveitar espetáculos teatrais e musicais que estejam em cartaz, sempre com acompanhamento dos guias.

  • O acompanhamento

Os participantes contarão com o apoio total de nossa equipe, desde o embarque em Porto Alegre. Nossos guias estarão no Aeroporto Salgado Filho para recebê-los e auxilia-los no check-in. Na chegada em Londres, os guias, após auxiliarem os participantes na burocracia de entrada na Inglaterra, acompanharão todos às casas onde ficarão. Em Londres, cada participante receberá emprestado um celular com um número local, esse aparelho permitirá o contato com nossa equipe, ou com os outros participantes, 24 horas por dia.

  • A Hospedagem

A hospedagem será em casa de família. Os participantes ficarão em duplas em cada residência. A intenção é que, dessa forma, os participantes possam ter uma vivência mais próxima do dia a dia de um verdadeiro morador de Londres, vivenciando a cultura da cidade de maneira mais intensa.  Na casa de família, será servido o café da manhã e o jantar, que já estão inclusos no pacote.

  • A Escola

As aulas de inglês serão na Malvern House. Uma das mais antigas da capital inglesa, e considerada uma das melhores escolas de inglês de Londres. Além de toda a tradição e qualidade de ensino a Malvern House fica no coração da cidade, o que facilita o acesso dos estudantes. Na primeira semana, os guias acompanharão os alunos até escola e, ao meio-dia, após as aulas seguirão para o almoço e os passeios turísticos.

  • Planejamento facilitado

Para facilitar a vida de nossos viajantes, o Experience London já vem com praticamente todas as despesas inclusas, exceto almoço e compras pessoais. Todas as taxas, seguros, passagens, curso de inglês, hospedagem, café da manhã, jantar, transporte local em Londres já estão assegurados em nosso pacote. Dessa forma, o planejamento financeiro da viagem fica bem mais simples.

Confira os depoimentos de quem já participou do Experience London.

Up_ExperienceLondon16_Apresentação_abr15_DEPOIMENTOS_Bianca

Up_ExperienceLondon16_Apresentação_abr15_DEPOIMENTOS_Samuel

Ficou interessado? Entre em contato conosco pelo e-mail intercambiolondonup@gmail.com ou pelos telefones (55) 8414.0588 (em Santa Maria) ou (51) 8633-3998 (em Porto Alegre).

Up Idiomas, a bagagem que você precisa!